Samonte é destaque em fórum estadual

Cultura
Publicado em: 8 de Setembro de 2011. Última Atualização: 8 de Julho de 2015


As políticas culturais implantadas pelo Governo Municipal 2009/2012, obtiveram mais uma vez destaque em âmbito estadual. O trabalho de preservação patrimonial desenvolvido pela Secretaria Municipal de Cultura e Turismo, foi escolhido entre mais de 500 municípios mineiros, dos quais apenas 4 foram selecionados, para ser apresentado no 3º Fórum de Mestres e Conselheiros.


O evento realizado nos dias 21 e 22 de agosto, é organizado pela Escola de Arquitetura da UFMG (Universidade Federal de Minas Gerais), pelo IEDS (Instituto de Estudos do Desenvolvimento Sustentável), e pelo Instituto Metodista Izabela Hendrix em parceria com o IEPHA (Instituto Estadual do Patrimônio Histórico e Artístico de Minas Gerais) e a Promotoria Pública do Estado de Minas Gerais. O objetivo é promover a troca de experiências sobre municipalização do patrimônio histórico e cultural dos municípios mineiros.

Este reconhecimento é fruto de um extenso e complexo trabalho que recebe o nome de Inventário Cultural, uma das inúmeras ações do Governo Municipal com o objetivo de valorizar a cultura do município e seus articuladores.

A Técnica em Promoção e Proteção do Patrimônio Cultural da Secretaria de Cultura e Turismo, Márcia Bernardes, foi a representante de Santo Antônio do Monte no fórum realizado em Belo Horizonte (fotos). A seguir, ela fala sobre a experiência de gestão do patrimônio público realizada em Santo Antônio do Monte e a importância desse trabalho:


O Governo Municipal por meio da Secretaria Municipal de Cultura e Turismo desenvolve já há algum tempo o Inventário Cultural. Como é realizado esse trabalho?

O setor de patrimônio da Secretaria, pelo qual eu sou responsável, desenvolve uma política de proteção ao patrimônio histórico e cultural. Dentro dessa política existem várias ações, uma delas é o Inventário Cultural, que consiste em identificar todos os bens culturais que são importantes para o município.

Há quanto tempo exatamente esse trabalho é desenvolvido?

Ele é desenvolvido de forma autônoma desde 2005, começou junto com o atual Governo Municipal. O Prefeito Leo Camilo é um dos principais incentivadores. A administração municipal oferece instrumentos para o aperfeiçoamento desse trabalho, custeando diversos cursos que agregam ainda mais valor para essa atividade que considero de grande importância para a cultura da cidade.

Por que você diz que ele é desenvolvido de forma autônoma?

Ao contrário de outros municípios, que desenvolvem esse trabalho ancorados por consultorias privadas, nós da equipe da Secretaria da Cultura desenvolvemos ele praticamente sozinhos. São contratados apenas os arquitetos que dão apóio técnico na avaliação dos diferentes patrimônios.

Esse levantamento é arquivado de que forma?

O trabalho todo é muito grande. Para cada patrimônio é criado uma ficha que descreve toda a história e característica desse bem cultural. São inúmeras fichas que ficam arquivadas e podem ser consultadas pela população de Santo Antônio do Monte. Esse levantamento acaba se tornando um banco de dados do município, que poderá nortear ações futuras ligadas a cultura e até ao desenvolvimento da cidade.

É possível mensurar o número de patrimônios que já foram inventariados ao longo desse período?

Nós já inventariamos muito. Temos mais de 300 fichas, o que é número bastante elevado dado à riqueza de detalhes que requer a elaboração de cada ficha. Essas fichas incluem estruturas imóveis, arquitetônicas, e patrimônio imaterial. Inventariamos uma gama muito grande de bens culturais, incluindo todos os bens do Centro de Memória Municipal “Dr. José de Magalhães Pinto”(CEMM).

Como é realizada a divulgação do Inventário Cultural para a população de Santo Antônio do Monte?

À medida que vamos conhecendo e tomando nota de todos esses bens temos que realizar atividades para torná-los de conhecimento da população. Desde 2005 desenvolvemos inúmeros projetos de educação patrimonial. Os que mais se destacaram foram os cartões postais, o álbum de figurinhas, e além de outros desenvolvidos nas escolas tanto da cidade quando da zona rural.

A divulgação do inventário fica restrita apenas ao município de Santo Antônio do Monte?

Todo esse trabalho é sintetizado anualmente e enviado ao IEPHA. Ele é convertido em pontos que posteriormente trazem recursos para o município. E foi o que possibilitou o reconhecimento, que se deu pela participação no 3º Fórum de Mestres e Conselheiros, onde apenas 4 municípios, incluindo Santo Antônio do Monte, foram convidados a participar devido a eficiência do trabalho de preservação patrimonial que desenvolvem.




TAG's: Samonte, destaque, fórum, estadual

Inicial | Voltar
Link permanente: