Feira do produtor rural começa sábado

Assistência Social
Publicado em: 8 de Março de 2012. Última Atualização: 8 de Julho de 2015


Neste sábado (10/03), terá início a Feira de Agricultura Familiar e Artesanato de Santo Antônio do Monte. A iniciativa é da ASPROSAM (Associação dos Produtores Rurais Familiares de Santo Antônio do Monte) em parceria com a Prefeitura de Santo Antônio do Monte por meio da Secretaria Municipal de Assistência Social, que possui um setor responsável por coordenar projetos de agricultura familiar, além de prestar apoio técnico e administrativo para a associação de produtores.
 

A feira acontecerá todos os sábados na Avenida Presidente Tancredo Neves a partir das sete horas da manhã (foto). Na entrevista a seguir, João Alves, o representante da equipe da Secretaria de Assistência Social que trabalhou junto com a associação na concepção da feira, explica o objetivo e o trabalho desenvolvido em prol da agricultura familiar no município.
 

O que é a ASPROSAM?
 

A ASPROSAM é uma associação dos produtores rurais familiares. Ela foi criada em 2006 por intermédio da Secretaria Municipal de Assistência Social. Intuito foi o de participar de programas do Governo Federal como o P.A (Programa de Aquisição de Alimentos) e PENAE (Programa Nacional de Alimentação Escolar), que ajudam a fortalecer o produtor rural. Começamos com 15 associados, com tempo foi aumentando hoje são mais de 60 agricultores.
 

Qual a relação da Secretaria Municipal de Assistência Social com a ASPROSAM?
 

A nossa relação com a ASPROSAM é apenas a de fazer a operacionalização da associação dando assistência técnica e administrativa. Somos uma equipe de três pessoas, oferecida pela Prefeitura, por meio da Secretaria de Assistência Social para coordenar todos os projetos na área de agricultura no município por meio da associação. Indiretamente trabalhamos na associação, mas somos funcionários da Prefeitura.
 

Como surgiu a idéia da Feira de Agricultura Familiar e Artesanato de Santo Antônio do Monte?
 

A idéia surgiu entre os produtores que nas reuniões da associação manifestaram a necessidade se criar um novo meio de comercializar os seus produtos, isso no final de 2009. A partir daí foi formada uma comissão entre os produtores da associação e nós da equipe da Secretaria Municipal de Assistência Social começamos a articular a criação da feira. Foi feita uma pesquisa de mercado para verificar se há aceitação por parte da população de uma feira nesses moldes. O principal intuito é que o produtor rural tenha onde vender os produtos que não são vendidos por meio das cotas do P.A e PENAE. A Prefeitura além de manter a nossa equipe trabalhando junto a ASPROSAM, investiu também a quantia de R$ 18.000 que foram usados na compra das barracas que serão usadas na feira, ao todo foram adquiridas 30 barracas
 

A Prefeitura, por meio da equipe de agricultura familiar irá acompanhar a feira todos os sábados?
 

No início estaremos acompanhando o funcionamento da feira, mas o ideal é dar suporte para que ela caminhe sozinha, seja gerida e mantida pelos próprios produtores. A ASPROSAM, conforme prevê a lei, deverá enviar um relatório mensal a nossa equipe sobre o funcionamento da feira. Como estão sendo as vendas, aceitação, presença dos produtores, possíveis ocorrências. Haverá uma pessoa responsável da associação para gerenciar o negócio. Terá também um fiscal da Prefeitura no local. O intuito é que os produtores não fiquem totalmente dependentes do poder público. Isso está previsto na lei que regulamenta a criação da feira e no regimento interno.
 

Quantos produtores irão participar da feira?
 

A previsão é que a feira comece a funcionar com cerca de 20 produtores. Deverão ter uma disciplina de participação, a lei estabelece que devam vir no mínimo duas vezes por mês, ou seja, pelo menos a cada 15 dias. Permite-se, com justificativa, a ausência. É uma forma de garantir a oferta dos produtos, fidelizando o cliente e mantendo a feira ativa, para que a pessoa encontre sempre o produto que procura na feira. Existem penalidades a serem aplicadas aos produtores que descumprirem a lei e o regimento da feira.
 

Qual será a média de preços, existe uma tabela?
 

O preço dos produtos da feira será o preço local, por meio de uma pesquisa realizada no mercado local estabeleceu-se uma faixa de preço. O produtor poderá vender até esse preço. Existe também um valor mínimo, o produtor poderá praticar o seu preço dentro dessa faixa, para que o preço não seja maior que o do mercado e nem haja concorrência desleal entre os produtores. Estabeleceu o preço local máximo, não pode passar daquele preço, o preço vai ser livre abaixo daquele preço de mercado local.
 

O que será vendido na feira?
 

Será vendido na feira tudo o que for produzido pelo produtor rural em sua propriedade, ou seja, coisas do campo. Produtos de lavoura em geral, hortaliças em geral, derivados da lavoura, polvilho, fubá, rapadura, mel, aves, ovos, ervas medicinais, plantas.
 

O que caracteriza um produtor rural familiar?
 

É aquele agricultor que tem uma atividade rural em seu próprio terreno e onde a mão de obra é basicamente familiar, os filhos, o cunhado, a esposa, os irmãos, etc. E que tenha até 4 módulos rurais, cada módulo equivale a 100 equitares.
 

Como vocês avaliam a importância da feira para o município e para os produtores rurais?
 

A feira vem atender a necessidade do produtor de ter um local oficializado para vender os seus produtos. Ela visa também assegurar para a população o acesso a alimentos produzidos com o mínimo de produtos químicos, mais saudáveis e que garantem a segurança alimentar dentro da cidade, fortalecendo a economia rural. A feira vai contribuir para valorizar a cultura local e da região, aumentando a renda do produtor rural para que ele continue no campo produzindo de forma regularizada e de acordo com a legislação ambiental.


 
 




TAG's: Feira, produtor, rural, começa, sábado

Inicial | Voltar
Link permanente: